José Élcio Marques e o prefeito Wander (Por Salatiel Correia)

Como se diz aqui em Goiás troquei “dois dedos de prosa” com um amigo Santa-ritense desde os tempos que eu, ainda estudante do INATEL, morava nos fundos da loja dele. Estou a falar do proprietário da mais que cinquentenária Casa Marques José Élcio Marques, carinhosamente conhecido como “Brechó”.

Tanto Brechó como eu somos entusiastas da administração do prefeito Wander Chaves. Wander vem trazendo a prefeitura para junto do cidadão. Para isso, ações concretas da gestão do ex-diretor do INATEL vêm promovendo na terra de dona Sinhá a indução da face mais nobre do desenvolvimento – o humano. Com essa preocupação, a prefeitura vem construindo espaços para atender os idosos e gestantes. Novos laboratórios de análises clínicas evidenciam a importância de uma administração voltada para a construção da cidadania.

Wander percebeu as novas realidades oriundas da globalização e o que isso reflete numa sociedade voltada para um valor percebido pela benemérita Sinhá Moreira naqueles distantes anos de 1950—a educação. A partir dessa percepção foi instituída a primeira escola de eletrônica da América Latina. A Escola Técnica de Eletrônica—ETE– nada mais é que uma materialização concreta desse sonho. Assim como a ETE a proposta da administração Wander de criar uma escola bilingue para capacitar 1000 alunos mostra que dona Sinhá deixou um herdeiro nestes tempos modernos interligados pela sociedade em rede.

Um herdeiro capaz de liderar o processo de atração de investimentos focado na vantagem comparativa da eletrônica. Ciente dos novos tempos, a prefeitura vem incentivando parcerias com empresas que escolheram ou escolherão Santa Rita como local de produção e capacitação de seus produtos. A dimensão cultural do desenvolvimento Santa-ritense se faz presente no entusiasmo do prefeito com o projeto cidade criativa. “o Cidade Criativa tornou-se um acelerador de projetos, eventos e até mesmo empresas”, relata o prefeito orgulhoso de uma cria do qual ele foi o líder maior.

Movido a sonhos Wander já pensa na construção de um novo Paço Municipal que agregado a novas entidades formarão o novo centro administrativo condizente a importância que tem hoje o Vale da Eletrônica para o desenvolvimento do país.

Voltar a Santa Rita do Sapucaí é mergulhar para dentro de meu eu impregnado de lembranças da minha juventude. Na próxima vez que eu for lá por lados da Mantiqueira mantenho comigo três desejos: comer pastel no mercado, matar as saudades do Élcio, da dona dita, sua esposa, e apertar a mão do prefeito Wander Chaves. Tal como nos tempos de dona Sinhá Moreira, Santa Rita volta a ter esperança na construção de seu futuro. Dona Sinhá lá de cima do céu explode de alegria com a administração empreendedora de seu discípulo.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY