Obra sobre viagem no tempo ambientada no sul de Minas será lançada em junho

Imagine uma cidade do interior mineiro, nos anos 70, como cenário para acontecimentos fantásticos. Seus habitantes são fictícios, mas transitam por ruas e construções de uma cidade verdadeira. Esta é a proposta de “Conexão Hirsch – Nostalgia, obsessões e viagens no tempo”, novo livro de Carlos Romero Carneiro, com lançamento previsto para junho de 2017.

A ideia foi utilizar Santa Rita do Sapucaí, localizada no sul de Minas Gerais, como um laboratório de experimentações e criar uma história nostálgica, mas com elementos fantásticos. “Este romance é resultado de um trabalho de vários anos. Envolve muita pesquisa e aprendizado. Todos os personagens são fictícios, embora haja um presidente na casa onde viveu Delfim Moreira, o túmulo de um imponente coronel ou a residência de um farmacêutico tradicional.” – conta o autor.

Experimentações com os leitores do jornal

Apesar de ter passado despercebido à maioria dos leitores, alguns textos publicados no Empório de Notícias serviram de termômetro à obra. O autor usou o seu jornal como laboratório para produzir matérias em que o realismo fantástico estava presente, como uma viagem no tempo feita por um jornalista à Santa Rita do Sapucaí do futuro que mereceu matéria de página inteira.

Outra experiência interessante foi uma nota fictícia lançada em uma das edições, em que o autor pedia informações sobre um dos personagens. Curiosamente, o protagonista fez o mesmo em seu próprio jornal. Como Hirsch foi inspirado em uma criança judia que viveu na cidade no início do século XX, a redação recebeu várias ligações, como de uma leitora que descreveu passagens detalhadas e terminou a conversa com um desabafo: “Ele morreu há muito tempo, mas jamais o esqueci. Algo dele permanece na cidade.” De certa forma, este é o espírito de Conexão Hirsch. As informações que permanecem impregnadas em ruas, objetos e construções podem ser acessadas por pessoas dotadas de certa dose de sensibilidade.

Quer saber mais informações sobre a obra? Clique aqui.

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY