Como a comunidade santa-ritense deve reagir ao Coronavírus?

Não relacione a situação atual a nada que você tenha visto no passado. Esqueça outras crises, deixe de lado os partidarismos e polarizações políticas, mude a forma como encarava o seu negócio ou seu emprego e não entenda o Coronavírus como uma simples gripe, pois não é.

Apesar de não haver nenhum caso comprovado do Coronavírus em Santa Rita do Sapucaí até o momento, esta doença é silenciosa e rápida. Não temos menor noção do que está acontecendo porque o Brasil não realiza testes como deveria. Uma pessoa contaminada leva até 9 dias para manifestar os sintomas e contamina dezenas de outras pessoas.

Hoje, soube da morte do presidente do Banco Santander em Portugal. Isso demonstra que, diante de um vírus ainda incurável, não há poder aquisitivo que resolva. Soube de filas de oito horas no Albert Einstein, hospital de luxo de São Paulo, o que demonstra que nossos hospitais e postos de saúde não tem condições de conter um surto.

Como não temos testes para todos os casos suspeitos que chegam aos hospitais, só conheceremos a real situação do coronavírus por aqui, dentro de uma semana ou mais. Não subestime a doença, fique em casa. A não ser que preste serviços essenciais, mantenha a sua integridade, e – se precisar sair – tome todas as precauções para não ser contaminado. Mantenha sua família com você. Cuide-se.

Como uma doença que depende da forma como a comunidade se comporta, é preciso haver muito bom-senso de todos nós santa-ritenses. Já provamos em outras oportunidades a nossa capacidade de mobilização e colaboração e esta pode ser a maior prova que teremos que vencer. Consuma somente o necessário para suprir as suas necessidades. Não compre todas as máscaras, luvas e garrafas de álcool que encontrar pela frente. A nossa saúde depende também da saúde das pessoas que estão à nossa volta. Caso tome conhecimento de que os produtos chegaram às farmácias, compartilhe com a comunidade.

Esteja atento às orientações do poder público, principalmente da prefeitura. Siga rigorosamente as diretrizes das autoridades e mantenha-se em segurança.

Parece ser primordial não só a restrição de acesso de pessoas ao nosso asilo, como também procurarmos manter os cuidadores dentro desses espaços (limitar entrada e saída deles) e haver distanciamento seguro de pessoas responsáveis pelo abastecimento do local. Diante desta situação pode ser muito difícil garantir a integridade de nossos idosos.

A maneira como a gente se comportará nesses dias é imprescindível porque – apesar de não eliminar o risco de contágio – fará com que o nosso hospital consiga dar assistência aos casos mais graves. Caso sinta os sintomas (REAIS) do Coronavírus, dirija-se ao posto mais próximo mas lembre-se de que lá estarão muitos casos de contaminações.

Aos empresários que ainda não colocaram seus colaboradores em trabalho “home office” ou deram a eles férias coletivas, façam isso imediatamente. São medidas como estas que garantirão a nossa qualidade de vida. Pelo menos por enquanto, esqueçam as dificuldades, esqueçam a economia, os partidarismos e a forma como encaravam a vida e as dificuldades. A chave mudou. Nossa missão agora é garantir a nossa sobrevivência.

Aos donos de comércio, não tentem manter as portas abertas da mesma forma que faziam antes. Lembrem-se de que, por mais difícil que a vida esteja, cuidar da saúde da família e da comunidade é o mais importante nesse momento. Sobreviver é o mais importante. E se não puderem fechar as portas por oferecerem serviços essenciais, protejam a integridade dos seus colaboradores. Lembrem-se: todo contato a menos de um metro de distância é um fator de risco. Um espirro ou manuseio no alimento é o suficiente para levar a doença para dentro de sua casa. Estamos construindo, neste exato momento, as condições de sobrevivência para os próximos vinte dias.

Por fim, boa sorte a todos nós. Que consigamos reagir de maneira sábia a este desafio e tenhamos forças para vencer esta batalha.

Um abraço,

Carlos Romero Carneiro

Editor do jornal Empório de Notícias.

 

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY