Opinião: Uma semana, dois feriados (mas só em Santa Rita)

Brasil patinando, tentando a todo custo escapar da crise, milhões de desempregados e os nossos representantes municipais têm uma ideia genial… Trouxeram novas empresas? Não… Incentivaram a economia? Também não… Promoveram o emprego? Não é bem isso. Eles cuidaram para houvesse dois feriados, um da padroeira e outro da emancipação política, numa mesma semana! Ou seja: peguem metade de uma semana produtiva – em um momento decisivo do país – e transformem em barraquinhas que não recolhem impostos municipais!

Isso que dizer que, enquanto todos os países do mundo, globalizados e conectados, estão correndo atrás do prejuízo, Santa Rita do Sapucaí está fazendo quermesse! Já imaginaram o prejuízo que uma atitude simplória e inocente como esta é capaz de proporcionar a uma indústria? Quem apoia (ou cria) uma lei assim, ou não tem noção do momento que estamos vivendo, ou quer mais é que a cidade se exploda!

Soube que, além da criação desta folga infeliz, em um dos países com mais feriados no mundo, nossos representantes tiveram uma nova ideia… mais um feriado, que tem sido discutido para novembro. Me ajuda aí, tio! Nós sabemos que vereadores ganham quase 3 mil por mês para comparecerem uma vez por semana na câmara, mas tem gente que precisa trabalhar, uai!

Fica aqui o meu repúdio a estas iniciativas populistas e inconsequentes e o desejo de que nossos representantes percebam que há um bom número de pessoas, aqui embaixo, que precisam produzir. Que Santa Rita nos proteja. Assim não vai…

(Por Carlos Romero Carneiro)

 

3 COMMENTS

  1. Concordo que existem coisas melhores a serem feitas por esta câmara e que parece não atender aos anseios populistas.
    – Municipalização do trânsito(há um manual de 40 páginas que ensina como fazer)
    – Alterações do trânsito nas vias com mãos únicas e vagas de estacionamento 45 graus
    – Restrição de trânsito de veículos de grande porte em horário comercial
    – Instalação de travessias elevadas para redução da velocidade dos veículos, principalmente nas vias recém asfaltadas
    – Multa e apreensão de mercadorias ou materiais(areia, cascalho, etc.) depositados nas vias de trânsito(calçada e rua) irá diminuir o entupimento de bueiros e canais de escoamento pluvial e evitar os caixotes e cones “segura-vaga”
    – Fiscalização de construções em áreas não loteadas ou irregulares para tal fim e multa a Copasa e Cemig por ponto ativado nessas áreas
    – A lei já existe mas falta fiscalização dos lotes que não possuem calçadas e muros e servem de depósito de lixo
    – Salários de vereador igual a receita per capta do município no ano anterior
    – Construção de um centro administrativo em bairro de menor fluxo de carros e pedestres, liberando mais vagas no centro e criando novas regiões de desenvolvimento e expansão(vide novo Fórum de Pouso Alegre como exemplo)

    Tudo isto pode ser trabalhado pelo legislativo junto ao executivo municipal, basta querer.

  2. Legislativo Municipal? E o plano diretor? Viraram a Frederico de Paula Cunha mão única e a Cel. Gabriel Capistrano que é mais estreita e onde passam os caminhões da Cooperativa continua mão dupla! A Pe. Vitor virou escape para quem não pode mais subir pela Frederico de Paula Cunha que disputa o espaço com quem não quer esperar o sinal e desce sentido TG.
    Subir da parte da baixo da Avenida para a parte de cima da cidade entre 17:30 e 18:30 virou caos. Parece que estamos em uma cidade grande.

    Ah, mas estamos nomeando ruas. Que bom. Não precisamos de empresas, não precisamos de trânsito fluindo. Não precisamos de segurança. Precisamos dar nome às ruas. Pela quantidade de loteamentos abertos a toda hora sem estrutura realmente a Câmara tem muito trabalho a fazer. Daqui a pouco importaremos nomes de Pouso Alegre e Itajubá para tantas ruas.

  3. Creio q falte muita coisa pra que nossa cidade possa melhorar. Deixar nossa cidade a mercê de um “dito coronel” que lida com tudo como se fosse dele, eh algo que o santarritense tem que aprender a lidar. Uma câmara que está sendo “comprada” com muitas promessas. Muitos empresários não conseguem sequer falar o coronel, pois quando chegam com solicitações são tratados como bandidos. Na Roma antiga se dava pão e festa… Creio que não mudou muito por aqui!!! Viva Santa Rita!!!

LEAVE A REPLY