Responsável pelo boom do rock brasileiro nos anos 80 fará palestra em Santa Rita do Sapucaí

O ex-aluno da ETE, Pena Schmidt, é considerado um mito no mercado da música. Se não fosse ele, dificilmente o movimento do Rock brasileiro nos anos 80 teria ganhado força. Como produtor, foi responsável por, pelo menos, 50 discos com hits que até hoje ninguém se cansou de ouvir nas rádios. Como executivo da Warner Music, na década de 80, foi quem descobriu bandas como Titãs, Ira!, Ultraje a Rigor, e deu o empurrão inicial para que se tornassem bem sucedidas. Em seguida, Pena se jogou de cabeça no mercado da música independente. Teve seu próprio selo independente, o Tinitus, foi executivo na Trama, foi presidente de Associação Brasileira da Música Independente (ABMI).

Atualmente, depois de anos como superintendente do Auditório Ibirapuera, Pena Schmidt se tornou consultor no mercado musical e se envolveu com o movimento de startups que unem música e tecnologia. Ele estará em Santa Rita do Sapucaí no mês de setembro para palestrar no Hack Town, festival criado na cidade, de reconhecimento internacional, que une temas como tecnologia, design, inovação, marketing, startups, empreendedorismo, música e entretenimento. A palestra de Pena, intitulada “Novos caminhos para a Música: a tosqueira diz adeus”, será apenas uma entre as mais de 200 palestras e workshops que serão realizadas no festival. O Hack Town 2017 acontece de 07 a 10 de setembro em locais inusitados de Santa Rita do Sapucaí, como bares, restaurantes e salas de aula.

A relação de Pena com Santa Rita do Sapucaí é bem interessante. Em matéria de 2008 no Estadão, ele contou que os 18 anos, seguiu rumo à cidade para estudar na Escola Técnica de Eletrônica. A cada viagem que fazia de volta à São Paulo, fosse para matar as saudades de seus pais ou participar de algum curso complementar, o ponto de parada obrigatório era a banca de jornais do Terminal Rodoviário Tietê, considerada a mais completa da capital paulista na época. Pena corria para a seção de eletrônica para adquirir novos exemplares de revistas importadas que tratavam sobre áudio. Foram elas que o ajudaram a conseguir seu segundo emprego de relevância na área, no Estúdio Scatena, em São Paulo. Segundo a matéria, Pena ganhou o emprego porque foi o único que soube fazer funcionar um equipamento de som recém-chegado ao Brasil.

Para ingressos e mais informações sobre o Hack Town, é só acessar o site www.hacktown.com.br

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY