URGENTE: Prefeito Wander concede entrevista sobre prevenção ao Coronavírus em Santa Rita

O serviço de carros de som pode ser intensificado para conscientizar a população?

Há possibilidade de intensificarmos a informação via carro de som, mas devemos aprimorar uma outra narrativa mais efetiva. Nós aumentaremos os horários em que os carros de som irão transitar, já que notamos redução significativa no volume de pessoas transitando pela cidade após esta iniciativa.

E qual seria a orientação em relação às crianças?

As crianças podem não ter nenhuma manifestação mas, ainda assim, levar a doença para dentro de suas casas. Nós cancelamos as aulas nas creches justamente por isso. Quanto maior for o isolamento, mais rápido resolveremos esta situação e as coisas voltarão ao normal.

Qual o objetivo da vacinação dos idosos contra a Gripe H1N1?

O objetivo é imunizar os idosos quanto à gripe H1N1 para que tenham uma proteção imunológica a mais e possam superar um possível contágio do Coronavírus. Posso adiantar que nós faremos a vacinação em salas amplas, com pouco fluxo de pessoas e por ordem alfabética, mediante senha. Nas pessoas acamadas, a vacina será aplicada em casa. Eu peço às pessoas que entrem em contato com a secretaria municipal de saúde para que possam se informar sobre horário e senha. Os telefones são 3471 3730 e 3471 2006.

Poderemos obter testes rápidos para controle de acesso à cidade?

O fechamento das fronteiras municipais pela prefeitura é proibido por lei e as pessoas que dizem estar adotando este procedimento estão usando o termo de maneira errada.

E quanto aos testes? Iremos intensificá-los?

Os testes foram a grande ação adotada pela Coreia do Sul para derrotar a doença. Lá, o é super rápido, com um aparelhinho que responde imediatamente, mediante contato com paciente. Aqui no Brasil não tem sido assim por enquanto, mas o governo federal está comprando estes testes que deverão chegar em breve. O que temos, por enquanto, são testes convencionais que demoram alguns dias para ficarem prontos.

Em relação a barreira sanitária, poderia nos explicar como ela vai acontecer?

Vários profissionais que integram nossas secretarias  e órgãos deverão monitorar a comunidade e conversar com as pessoas em busca de informações, realizar perguntas voltadas a sintomas e prevenção, além de transferir informações relevantes e aferir temperaturas das pessoas que compõem a nossa comunidade.

E quanto às indústrias? Como tem sido o procedimento adotado em relação a elas?

Até ontem, nem os governos Estadual e Federal haviam falado sobre as indústrias. Por outro lado, a prefeitura possui algumas limitações quanto a interferir na iniciativa privada. O que nós fizemos, dentro dos nossos limites, foi recomendar um cuidado maior quanto às pessoas que se encontram em situação de risco e que trabalham nas indústrias, recomendar que respeitem as distâncias entre os colaboradores, que suspendam de viagens, trocas de turnos e que façam verificação de funcionários com férias, banco de horas e afins, para que possam ser concedidas. No caso de Santa Rita, estamos conversando com as lideranças dessa área para que possamos tomar decisões acertadas. Muitas vezes, sabemos que podem acontecer grandes prejuízos, mas a saúde vem sempre em primeiro lugar.

Qual a atitude tomada pela prefeitura em relação às pessoas em condições de rua que vivem em nosso município?

A questão dos andarilhos é muito importante. Talvez seja a parte que irá sofrer mais com o Coronavírus e, por isso, merece uma atenção especial. Por outro lado, é preciso que os andarilhos também atendam às nossas orientações. Temos, no momento, quinze andarilhos. Quatro são de Santa Rita e o restante veio de fora. Estamos estudando isolar os andarilhos locais e enviar os viajantes para suas cidades.

Há pessoas fazendo festas em período de isolamento. O que a prefeitura deve fazer em relação a estas pessoas? 

Nós ainda não aplicamos o toque de recolher. Por este motivo, as pessoas ainda podem sair, fazer comprar rápidas e trabalhar, como tem acontecido normalmente. Quanto à questão dos abusos, precisamos da colaboração da comunidade e já chegamos a fechar uma festa acontecida neste final de semana. Ao tomarmos conhecimento de algum abuso nós temos avisado a PM e incentivamos a comunidade a fazer o mesmo. O que temos a dizer é que o poder público possui suas limitações, respeita as pessoas, mas pede a cooperação da comunidade.

Quais as iniciativas em relação aos idosos do asilo e aos garis?

Muito antes dessa pandemia, a diretoria já havia preservado a integridade dos idosos através de um isolamento. Eles estão em segurança. Quanto ao trabalho dos garis, é serviço considerado essencial, deve continuar, mas estamos retrabalhando as escalas de trabalho e planejando ações para dar maior segurança aos profissionais de limpeza.

Sobre a transferência de presos, a prefeitura tomou alguma medida?

Eu discordo dessa ação autoritária e unilateral do governo de Minas Gerais e tal iniciativa tem sido acompanhada pelo Poder Judiciário e Ministério Público. Qual foi a lógica dessa ação, segundo o Secretário de Estado, que nós não concordamos? Se eu tenho um preso novo, em tese, pode carregar o vírus. Se eu ponho ele no presídio que já existem outras pessoas, traremos uma pandemia para dentro do presídio, infectando os presos antigos. A decisão do Secretário de Estado foi tomada para preservar os presos antigos. Segundo as autoridades que tomaram esta decisão, tudo deve voltar ao normal após a pandemia.

O que está sendo feito para reabrirmos o Hospital Maria Theresa Rennó?

Este hospital é estratégico, possui alguns respiradores, extremamente importantes no tratamento e, para funcionar, é necessário de Recursos Humanos e adequações estruturais. Juntamente com a Prefeitura Municipal de Pouso Alegre, com a Faculdade de Medicina e com o Hospital Samuel Libânio, estamos intervindo junto ao Ministro Mandetta para que o Governo Federal requisite o Hospital nessa ação de contenção. Caso não aconteça, poderemos realizar um Plano B com objetivo de reativá-lo. Teremos uma reunião na terça-feira em Brasília. Caso não seja favorável, criaremos uma parceria com o Hospital Regional de Pouso Alegre. Além disso, o Hospital Antonio Moreira da Costa já está se preparando para abrigar pacientes em sua unidade. Estamos, assim, reforçando o hospital que nós temos para enfrentar alguma situação mais grave que possamos ter.

Houve alteração nos postos de saúdes?

Os postos continuam em funcionamento sob orientação de que não haja aglomerações.

Sobre as contas de luz, água e IPTU, são canceladas para favorecer os contribuintes?

Todas as ações primordiais têm como base a saúde. Nós precisamos focar nisso agora, priorizando a vida das pessoas. Com relação à Cemig e Copasa, podemos acionar nossos contatos políticos, recomendar que as contas não sejam cobradas, mas não temos como atribuição legal suspender os pagamentos. Entendo eu que o governador Zema tomará uma atitude em relação a isso. Em relação ao IPTU podemos estudar facilitar ao contribuinte mas ainda não decidimos sobre isso.

Poderia fazer um balanço estatístico?

Nós tivemos um caso descartado, dois suspeitos e treze pessoas sendo monitoradas. Até o momento, não tivemos nenhum caso confirmado. Lembrando que as pessoas monitoradas não apresentam sintomas mas estiveram em áreas de transmissão comunitária.

Já estamos preparados para encarar o Coronavírus?

Como em todo o Brasil, estamos preparados até certo ponto. Estratégico para nós neste momento é o aumento de leitos e do número de respiradores e temos agido para conseguir estas melhorias nos próximos dias.

E quanto ao aumento abusivo de preços nos estabelecimentos?

O PROCON está orientado a fiscalizar e responsabilizar os comerciantes pelo aumento de preços. Agora um apelo: pedimos às pessoas que segurem seus preços, o máximo possível, neste momento de crise.

E quanto à falta de equipamentos de proteção?

Os governos Estadual e Federal estão preparando a compra de produtos em grande quantidade. Estamos procurando fazer o mesmo mas acredito que, em breve, resolveremos este problema.

O conselho Tutelar poderia fazer a fiscalização das crianças que permanecem na rua durante este período de prevenção?

Eu estou em contato com o Ministério Público para que oriente o Conselho Tutelar nesse processo.

Quais são as suas considerações finais?

Um vírus tão pequeno está nos ensinando alguma coisa, por incrível que pareça. Somos todos iguais, todos filhos de Deus. Estamos aprendendo que o individualismo é um erro, que nossos atos interferem nos atos de todos e que uma atitude solitária não resolve se o coletivo não colaborar. Estamos aprendendo que devemos ter unidade de pensamentos para que possamos vencer este vírus. E que devemos conhecer o significado de amor e cuidado para que possamos encontrar lucidez. Que Deus nos ajude. Muito obrigado.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY