Cartas de Sinhá Moreira a uma amiga

Primeira vez em que fala sobre sua doença

Rio, 15 de agosto de 1959

Boa Alda,

Fiquei muito satisfeita com as palavras de amizade, de tanta bondade, do cartão que me escreveu em 1º deste. Não sei como agradecer as atenções que venho recebendo dos amigos.

Hoje, fiquei triste sabendo da morte do Senhor Caputo. Era um santa-ritense de coração e que muito fez pela nossa terra com o seu exemplo de trabalho, perseverança e força de vontade.

Estivemos ontem lá no hospital São José onde a Melica Osório foi operada. A Zizi nos recebeu e nos fez entrar. Levei uma relíquia de Santa Rita para lhe fazer uma visita. Ela está bem disposta e já vai se levantar nestes poucos dias. Com certeza sarou das preocupações e da tristeza que vinha sentindo por conta da operação.
Hoje, nós íamos no aniversário da netinha da Aída Cunha, mas como estou “irradiando” iodo e não posso me aproximar de outras pessoas, sobretudo de crianças, achei melhor não ir.

Francisco vai bem e tem estudado. Já tem algumas professoras extras para não se atrasar.
A romaria está animada? Irá muita gente? Mais do que no ano passado?
Abraços saudosos e agradecidos da sua amiga Sinhá Moreira.

O tratamento continua

Rio de Janeiro, 1º de janeiro de 1963.

Minha boa amiga Alda,

Ao começar este ano novo, venho desejar a todos aí de casa, todos de sua família, muita saúde, muita paz e constante felicidade.

Antes de mais nada, gostaria de saber notícias do Senhor Elpídio, pois soube que ele teve um contratempo qualquer lá em São Paulo. Ele está passando bem e já regressou?
Por aqui, tudo na mesma. Quero dizer, ontem foi diferente. Havia um desusado movimento nas ruas e, sobretudo, nas praias, com grande número de crentes celebrando Iemanjá, com muito fervor e animação. Vi agrupamentos por toda a parte e danças em volta dos fogos acesos em diversos pontos. Não fui à missa da noite, mas soube que esteve movimentadíssima.

Continuo lutando para recuperar de vez a saúde, o que está custando um bocado. Estou ainda fraca e sem aquela disposição costumeira. Dizem que é assim mesmo e vamos nos munindo de paciência para atravessar os maus pedaços.

Dilza levará notícias nossas, razão por que não entro em outros detalhes.
Dê lembranças a todos daí, com saudades em casa da Nazareth.
Abraços da sempre amiga e muito grata,
Sinhá Moreira.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY